Noite Gaúcha: Comidas típicas do Rio Grande do Sul

Que tal preparar uma Noite Gaúcha em sua casa com deliciosas comidas típicas do Rio Grande do Sul? Hoje você conhecerá algumas receitas tradicionais do Estado para viajar pela Gastronomia gaúcha.

noite gaucha

Em mais uma edição de nosso Projeto Viaje de Casa, escolhemos o Estado do Rio Grande do Sul como destino para nosso Jantar Temático.

Já estivemos duas vezes no Rio Grande do Sul e uma das coisas que mais nos surpreendeu foi a deliciosa gastronomia. Nessas viagens, conhecemos diversas cidades como Porto Alegre, Gramado, Canela, Bento Gonçalves, Garibaldi e Cambará do Sul.

Aliás, é impossível não comer muito bem durante uma viagem ao Rio Grande do Sul. Com muita fartura, a gastronomia gaúcha tem influência de colonizadores espanhóis, portugueses, bem como dos imigrantes alemães e italianos.

Hoje você vai saber que a culinária do Rio Grande do Sul vai muito além do churrasco e chimarrão.

Aproveite para nos acompanhar em nossas redes e assistir aos vídeos de nossa Noite Gaúcha, que estão no destaque do Instagram. A diversão está garantida.

Quer saber como fazemos para viajar muito gastando pouco? Compartilhamos nosso segredo e contamos quais ferramentas usamos para economizar em nossas viagens.
Clique para conferir.

Comidas típicas do Rio Grande do Sul para sua Noite Gaúcha

Na lista de comidas típicas mais tradicionais do Rio Grande do Sul, pratos salgados, bolos e sobremesas para preparar uma Noite Gaúcha de respeito.

Arroz Carreteiro

Um dos pratos mais tradicionais da mesa dos gaúchos, o carreteiro é uma mistura de arroz com carne e muitos temperos. Originalmente criado com a carne de charque, hoje comumente é substituído por carne assada, aproveitando as sobras do churrasco.

arroz carreteiro comida tipica gaucha
Arroz carreteiro

Charque (carne salgada e seca) faz parte da culinária gaúcha desde a época da colonização, quando os carreteiros atravessavam os pampas e levavam esse tipo de carne por suportar o tempo das longas viagens.

A forma de preparo é basicamente a mesma desde então e pode ser servido acompanhado de vinagrete. Bem fácil e delicioso para sua Noite Gaúcha.

Tainha na Taquara

Muito tradicional na região litorânea do Rio Grande do Sul, a tainha na taquara é um prato de influências indígenas, muito tradicional no Estado.

Tainha na Taquara gaucha
Tainha na Taquara

O prato constitui-se de peixe, tainha ou anchova, bem temperado, assado na brasa preso a um espeto feito de bambu-taquara. A taquara é usada como uma grelha natural, contudo, pode ser adaptado ao que tiver em casa.

Polenta Frita

Prato bastante característico à mesa de muitas famílias do Rio Grande do Sul, pode um dos pratos de sua Noite Gaúcha.

Polenta Frita
Polenta Frita

A polenta nada mais é que um creme mole feito a partir de farinha de milho, a qual é frita após endurecer e pode ser servida com queijo ralado por cima.

A polenta frita é tão saborosa que é umas das comidas típicas encontrada em praticamente todos os bares e restaurantes do Rio Grande do Sul.

Galeto na brasa

Muito tradicional na região da Serra Gaúcha, o Galeto na brasa virou estrela entre as comidas típicas do Rio Grande do Sul, o que pode ser constatado com as inúmeras galeterias espalhadas pelo Estado.

Galeto na Brasa rio grande do sul
Galeto na Brasa

O Galeto é sempre marinado em tempero especial por várias horas antes de assar na brasa. O prato geralmente é servido acompanhado de sopa de capeletti, salada de batata ou polenta frita.

Costelão assado

Finalmente, o prato escolhido para nossa Noite Gaúcha: a costela assada. No Rio Grande do Sul, a costela é tradicionalmente assada no fogo de chão, onde passa cerca de 12 horas assando.

Costelão assado
Costelão assado

Contudo, a costela assada na brasa da churrasqueira também é bastante comum e mais fácil de ser adaptada a qualquer um que deseje saborear este prato típico.

O segredo é garantir um pedaço grosso de costela e não ter pressa para que o prato fique pronto, deixando assar aos poucos até que a carne esteja cozida e muito macia. Para temperar, o Euclides usa apenas sal grosso para ressaltar o sabor da costela.

Além disso, envolve a costela em plástico para que cozinhe bem e, após um tempo, retira para que doure. Uma delícia.

A costela assada pode ser servida com mandioca cozida, vinagrete e pão de alho.

Em parceria com diversas empresas que utilizamos para planejar nossas viagens, conseguimos descontos para nossos leitores. Confira nossa página de DESCONTOS e ECONOMIZE em suas viagens também.

Cuca de Goiabada tradicional do Rio Grande do Sul

Embora a culinária gaúcha seja bastante rica em comidas saborosas, os bolos e doces típicos do Rio Grande do Sul tem espaço reservado em qualquer mesa tradicional.

Cuca de Goiabada Gaúcha
Cuca de Goiabada Gaúcha

Trazida ao Brasil por imigrantes alemães, a Cuca é um dos pratos típicos que não pode faltar, tanto nas casas de famílias gaúchas quanto no café da manhã do hotel ou nos famosos cafés coloniais.

Aliás, esta foi uma das eleitas para nossa Noite Gaúcha feita em casa. Uma receita fácil de preparar, com ingredientes comuns e muito saborosa, a cuca vai muito bem acompanhada de um cafezinho. A seguir, confira a receita.

Ingredientes da Farofa da Cuca

  • 1 xícara de farinha de trigo
  • 1 xícara de açúcar
  • 100 gs de manteiga ou margarina gelada cortada em cubos
  • Canela

Modo de preparo da Farofa da Cuca

Adicione em uma tigela a farinha de trigo, o açúcar, os cubinhos da manteiga gelada e a canela para dar uma cor na farofa.

Vá amassando com as pontas dos dedos até ficar uniforme e deixe alguns pedaços grandes. Deixe na geladeira até o momento de usar.

Ingredientes da Massa da Cuca

  • 1 xícara de Leite
  • 4 colheres de Manteiga ou margarina
  • 2 colheres Fermento Biológico seco
  • 2 colheres de Açúcar
  • 4 xícaras de farinha de trigo
  • Água
  • 2 Ovos
  • 200 gs de Goiabada

Modo de preparo da massa

Esquente 1 xícara de leite e derreta 4 colheres de sopa de manteiga (reserve).

Em outro recipiente, misture o fermento biológico seco com 4 colheres de sopa de açúcar e um pouquinho de água morna. Deixe crescer por aproximadamente 15 minutos.

Na vasilha onde irá preparar a massa, junte 4 xícaras de farinha de trigo e 1 xícara de açúcar. Abra um buraco no meio e adicione mistura feita com o fermento biológico, quebre dois ovos e vá incorporando aos poucos.

Em seguida, adicione a mistura de leite e manteiga derretida e vá mexendo lentamente. Sove bem com as mãos para ajudar no crescimento mas saiba que a massa fica com a textura molinha.

Leve para descansar o tempo necessário para que cresça bem. Isso vai depender do clima de sua região mas aqui, deixei descansando por cerca de 40 minutos.

Corte a goiabada em cubinhos e, após despejar a massa em forma untada, adicione metade da goiabada dentro da massa.

Em seguida, cubra a massa com a farofa e coloque o restante da goiabada por cima.

Leve para assar em forno preaquecido em 180ºC até dourar, por aproximadamente 35 minutos, mas esse tempo varia muito conforme a marca e modelo do forno).

Já pensando nas viagens após o isolamento social? Então confira o post que fizemos com tendências de viagens pós pandemia e inspire-se.

Sagu de vinho com creme de baunilha

Grande surpresa a minha ao descobrir que Sagu com creme é uma das sobremesas mais típicas do Rio Grande do Sul.

Sagu de vinho com creme de baunilha
Sagu de vinho com creme de baunilha

Apesar de ter o sagu presente em minha infância, preparado carinhosamente por minha avó, a novidade ficou no creme de baunilha consumido junto.

Uma receita simples, que demanda um certo tempo no cozimento do sagu, mas que também escolhi preparar para nossa Noite Gaúcha.

Ingredientes do Sagu

  • 3 e 1/2 litros de água
  • 1 pacote de 500 gramas de sagu
  • 3 xícaras de vinho tinto
  • 2 xícaras de açúcar
  • Cravo e canela opcional

Modo de Preparo

Ferva 3 litros de água e após levantar fervura, acrescente o sagu. Vai mexendo com frequência para não grudar ou empelotar.

Após levantar fervura, a água começa a engrossar a medida que as bolinhas vão ficando transparentes. Se acaso a água secar demais, vá acrescentando mais água fervente para não grudar no fundo da panela, sendo necessário mexer constantemente.

O ponto ideal é quando as bolinhas do sagu estejam quase totalmente transparentes, podendo ficar o meio branco vez que ainda terá mais um tempo de cozimento. Aqui em casa, foram aproximadamente 30 minutos de fervura até chegar no ponto certo.

Despeje o sagu em um escorredor de massa ou arroz para drenar o caldo. Vá jogando água e mexendo até escorrer boa parte do creme grosso que fica ao redor das bolinhas.

Em seguida, volte o sagu para a panela e acrescente 2 xícaras de água, 3 xícaras de vinho e 2 xícaras de açúcar. Leve ao fogo e vá mexendo e, após levantar fervura, mexa por mais aproximadamente 10 minutos.

Esse tempo será para incorporar e engrossar o caldo, bem como terminar de cozinhar as bolinhas do sagu. Embora eu tenha desligado o fogo com parte das bolinhas ainda brancas, notei que o sagu estava bem macio. Depois de um tempo esfriando, percebi que as bolinhas ficaram transparentes por completo.

Ao deixar esfriando, mexa de vez em quando para que não forme uma película por cima. Quando o sagu estiver morno, você pode cobrir com plástico filme para evitar que essa película se forme.

Ingredientes do Creme de Baunilha

  • 1 litro de leite
  • 2 gemas batidas
  • 8 colheres de leite condensado
  • 4 colheres de amido de milho
  • 8 gotas de baunilha

Modo de Preparo

Misture bem um pouco de leite, as gemas, o leite condensado e o amido de milho antes de levar ao fogo. Em seguida, acrescente a baunilha e o restante do leite.

Vá mexendo sem parar para não empelotar. Aliás, o ponto ideal é um creme encorpado não muito grosso vez que, após esfriar, irá engrossar um pouco mais. O meu creme ficou bem consistente mas acredito que mais cremoso ficaria melhor.

Se acaso preferir o creme mais doce, acrescente mais leite condensado. Ao consumir, sirva o sagu e adicione o creme por cima.

Veja aqui => Regras atualizadas para cancelar ou remarcar sua viagem devido ao Coronavírus.

Ambrosia

De origem portuguesa, a ambrosia se destaca pela simplicidade no preparo mas, ao mesmo tempo, pelo sabor inigualável, tanto que é conhecido como Manjar dos Deuses.  

ambrosia sobremesa tipica gaucha
Ambrosia. Foto: Revista Sabores do Sul

Feito a base de ovos batidos, cozidos em leite e temperados com açúcar, o doce é típico do Rio Grande do Sul bem como de Minas Gerais.

Considerações Finais: Noite Gaúcha

Agora que você já descobriu algumas receitas deliciosas típicas do Rio Grande do Sul, que tal organizar sua Noite Gaúcha em casa?

Enfim, aproveite para se caracterizar com trajes típicos, separar a playlist com músicas gaúchas e se divertir muito.

noite gaucha viaje de casa

Aliás, nesta quarentena, encontramos nos jantares temáticos, uma forma de saciar nossa vontade de viajar.

Curtimos tanto essas noites temáticas que já tivemos Noite MexicanaNoite Italiana, Noite Japonesa, Jantar Árabe, Boteco Carioca, Noite Egípcia, Noite Portuguesa, Festa Junina, Noite Goiana e todas foram super divertidas.

Uma excelente plataforma para encontrar muitas ideias de decoração e caracterização é o Pinterest onde, com uma simples busca, você terá diversas fotos como inspiração. Usamos muito o Pinterest, inclusive como inspiração de fotos durante nossas viagens. Aproveite e nos siga por la também.

E então, deu vontade de preparar uma Noite Gaúcha em sua casa? Já provou alguma dessas delícias ou tem dica de mais alguma receita típica do Rio Grande do Sul? Deixe seu comentário pois o Blog tem mais vida com a sua participação.

Alguns pratos que já preparamos e o link para as receitas:

Organize sua viagem com quem entende do assunto.

Planeje sua viagem com a gente!

Fazendo suas reservas pelos links do blog, você ganha descontos, não paga nada a mais por isso e ainda ajuda a manter nossa página no ar, sempre atualizada. Escolhemos nossos parceiros com base em nossas experiências e na qualidade dos serviços prestados.

Siga nossas redes sociais.

Instagram – @casalabordo

Facebook – Casal a Bordo

YouTube – Casal a Bordo

Twitter – @casalabordo

Luciana Torezan

Paulista, 38 anos, servidora pública. Muito comunicativa e curiosa, tem paixão pelos animais e pela natureza, ama conhecer lugares e vivenciar culturas diferentes. Amante de trilhas e cachoeiras, está sempre motivada a botar o pé na estrada e ir atrás de novas aventuras. Tem prazer em compartilhar dicas e é a responsável pelo conteúdo do blog e redes sociais.

Artigos relacionados

8 Comentários

  1. Meu Deus, que fome me deu agora, menina! Eu sou apaixonado pelas comidas típicas do Rio Grande do Sul, mas só queria uma cuca agora pro café da tarde.

  2. Que demais essa ideia de noite gaúcha. Realmente, tem muita comida boa no Rio Grande do Sul, né? Pra mim só arroz carreteiro já é um baita banquete! hahahhaha

    Mas a cuca de goiabada também não dá para resistir!

    Abraço!

  3. Ah, que maravilha esta noite gaúcha! Adorando o projeto de viajar em casa. Com certeza vou fazer essa receita de cuca. Nunca fui ao Rio Grande de Sul e agora estou morrendo de vontade de visitar.

    1. Oie Anna, feliz que esteja gostando de nosso projeto. Uma forma de viajar nesses tempos de isolamento hahaha. O Rio Grande do Sul é incrível e tem uma culinária riquíssima. Certamente você vai gostar quando tiver a oportunidade de conhecer. A cuca é deliciosa e bem prática de fazer. Depois me conte como ficou ta. Beijos, Lu

  4. Eu adoro as comidas típicas do Rio Grande do Sul, mas confesso que não me atrevo a fazer em casa, porque dá muito trabalho. De qualquer forma, com as receitas que você divulgou, me animei de tentar fazer uma noite gaúcha em casa. Te conto depois

    1. Oie Leo, vou te falar que meus dotes culinários são bem limitados mas mesmo assim, preparei a cuca e o sagu com creme e ficaram deliciosos. Acho que você deveria arriscar hahaha. Me conte sim. Abraços, Lu

  5. Amo experimentar comidas típicas dos lugares, por onde visito! ai que delícia ler o seu post e relembrar tantas gostosuras do Rio Grande do Sul :-) Lembro de uma hospedagem, em Cambará do Sul, onde fazia um mega evento todos os sábados: churrasco no chão! Tri Legal!
    Vou tentar fazer as suas receitinhas para a família. Obrigada

    1. Oie Danielle, que alegria saber que gostou.
      Também adoramos experimentar as comidas típicas dos locais que visitamos e o Rio Grande do Sul sempre nos rende uns kilos a mais hahaha. Tente fazer sim. São bem práticas e deliciosas. Beijos, Lu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo