Duty Free: Regras da Alfândega para compras

Atualizado em

Dúvidas sobre as regras da alfândega? Saiba sobre Duty Free e suas regras, além de muitas dicas e sugestões para a sua viagem ser verdadeiramente inesquecível.

AEROPORTO DUTY FREE COMPRAS

Quem pensa em viajar, principalmente se o destino for internacional, já se imagina comprando uma série de produtos daquele país como souvenires, equipamentos eletrônicos, roupas e muito mais.

Entretanto, outra boa opção e que vem ganhando cada vez mais adeptos são as chamadas “compras Duty Free”. Também comumente conhecidas como “free shops”, você consegue comprar praticamente de um tudo com preços mais baixos que no Brasil.

É sobre esta nova forma de comprar e suas regras que iremos falar aqui neste post então, acompanhe!

Entendendo o que são compras nos ‘Duty free’ (FreeShops).

Traduzindo ao pé da letra, o termo Duty Free significa “sem taxas”, ou, em outras palavras, isento de impostos.

São lojas muito simpáticas que vendem de tudo, fixadas nos principais aeroportos internacionais do Brasil e também do mundo.

Estas lojas só são acessadas após você passar pelo portão de embarque do aeroporto e pelo posto da Polícia Federal, ou seja, quando já estiver pronto para o embarque ou para o desembarque.

Afinal, não faria sentido as Duty Free estarem do lado de fora da área de embarque, com acesso a qualquer pessoa.

Isto significa que quem pode fazer compras nos Duty Free são aquelas pessoas que farão uma viagem internacional. Dessa forma, os free shops podem ser acessados pelos consumidores tanto no momento do embarque como no desembarque.

As regras para se comprar produtos nos ‘Duty free’.

Quando falamos em “sem impostos”, podemos entender que você pode comprar o que quiser nestas lojas, na quantidade que quiser mas não precisará pagar qualquer imposto sobre estes produtos.

É quase isso, mas com exceção de alguns fatores.

ALFANDEGA REGRAS DE COMPRAS DUTY FREE

Existe um limite de US$500 (ou o equivalente em outra moeda) por pessoa para compras nos Duty Free. Então, qualquer coisa acima deste valor será taxada normalmente pela alfândega brasileira.

Além do valor, a quantidade de itens também precisa ser verificada, pois existem limites.

Confira estas limitações abaixo:

  • Máximo de 24 unidades de qualquer tipo de bebida alcoólica (12 de cada tipo. Ex.: 12 Vodcas mais 12 Whiskys);
  • Máximo de 20 maços de cigarros (independentemente se forem da mesma marca ou não);
  • Máximo de 25 unidades de charutos ou cigarrilhas de qualquer tipo ou nacionalidade;
  • Para cachimbos, quantidade máxima de 250g de fumo;
  • Máximo de 10 unidades de artigos de higiene e toucador (independentemente do tipo);
  • Máximo de 3 unidades de equipamentos como relógios, brinquedos, jogos, máquinas, eletrônicos, etc.

Conforme já dito, se você exceder tanto no valor de compras no Duty Free como na quantidade, seus bens podem ser taxados, no valor excedente apenas.

É importante sinalizar da necessidade de declarar à Receita Federal todos estes bens que excederam o valor (ou quantidade) limite, ainda na alfândega do próprio aeroporto.

Não declará-los, propositalmente ou por esquecimento, implicará em multa de até 100% do valor do bem. Então, é bom ficar atento.

Vale a pena fazer compras no Duty Free?

Já que tem limite de quantidade e de US$500 por pessoa, vale mesmo a pena comprar nos Duty Free localizados nos aeroportos internacionais?

DUTY FREE COMPRAS

Pode apostar que sim. Primeiro porque os preços são muito baixos, pois possuem, em sua maioria, produtos de origem internacional isentos de impostos.

Segundo, que este limite, considerando o seu desembarque aqui no Brasil, não interfere no limite de seus gastos em seu país de destino.

Calma que eu explico: por exemplo, você viajou para a Disney em Orlando e deu uma escapada até Miami, para umas comprinhas.

Desde que estas compras não ultrapassem os US$500, tudo maravilhoso, uma vez que você não será taxado quando chegar aqui no Brasil.

Da mesma forma, ao desembarcar no Brasil, você ainda poderá fazer novas compras no Duty free até o limite de US$500.

Por fim, você terá feito compras de produtos internacionais no valor total de U$1.000: US$500 em Miami mais US$500 em uma das lojas Duty Free.

Além disso, vale lembrar que ao comprar produtos comercializados nas lojas Duty Free, não haverá qualquer incidência de impostos na hora da compra e do pagamento.

Entretanto, se você efetuar a quitação do débito com seu cartão de crédito, poderá ter cobrança de IOF (6,38%).

Por falar em Disney, se você precisa comprar ingressos para os Parques, uma boa dica é escolher uma dessas opções aqui,  podendo conseguir ótimas promoções e preços especiais.
Não deixe de conferir!

Dicas, sugestões e orientações importantes para você viajar mais tranquilo.

Fazer compras no Duty Free, conhecer lugares fantásticos e paisagens inesquecíveis, aproveitar a gastronomia local do país de destino e tantas outras percepções e sentimentos, nos enchem de satisfação quando viajamos.

DICAS DE VIAGEM DUTY FREE

No entanto, toda e qualquer viagem, por menor ou maior que seja, requer um certo planejamento.

Em se tratando de destinos internacionais, como por exemplo países da Europa, América do Norte, Ásia, este planejamento precisa ser ainda maior.

Claro que quando planejamos uma viagem, o furor e o entusiasmo parecem tomar conta de nós e muitas vezes, deixamos alguns itens importantes para a última hora.

Neste roteiro de dicas e orientações, você vai ficar sabendo do que não pode esquecer no planejamento de sua viagem. Considerando destinos internacionais, também alguns cuidados e dicas muito úteis, como por exemplo, a compra da passagem com descontos especiais.

Acompanhe e anote tudo, para não esquecer!

1º – Passaporte e Visto.

Pode até parecer óbvio: vou viajar para um destino internacional e, logo, preciso de um passaporte e visto. Só que não funciona deste jeito: primeiro porque nem todos os países exigem passaporte e outros ainda não exigem o visto.

COMO TIRAR O PASSAPORTE

Segundo que, mesmo aqueles países onde tanto o passaporte quanto o visto são necessários, muitas vezes, na euforia e pressa para viajar, as pessoas acabam deixando este importante documento por último.

Esse tipo de esquecimento pode acarretar problemas como atrasos na confecção do passaporte bem como na liberação do visto.

Então, vale o aviso: providencie o passaporte e o visto (se este último for necessário) até mesmo antes das passagens. Prevenir é melhor do que remediar.

Para tirar o passaporte, você precisará comparecer ao Departamento da Polícia Federal localizado em seu estado e/ou município com todos os documentos necessários originais, pagar uma taxa específica e ter em mãos a sua solicitação de passaporte.

Aliás, elaboramos um passo a passo contendo todas as informações que você precisa para solicitar seu passaporte e o mesmo pode ser acessado clicando aqui.

Os vistos, em geral, são solicitados e liberados na respectiva embaixada de cada país. Vale consultar com antecedência as exigências para solicitação do visto para o país que pretende conhecer.

Para tirar o visto americano, elaboramos um Passo a Passo com fotos para auxiliar no preenchimento do Formulário DS 160. Então, clique aqui, confira e solicite seu visto americano.

2º – As passagens aéreas.

Também parece muito óbvio, mas a antecedência na compra de suas passagens pode significar descontos muito significativos.

Por certo, a melhor forma de você conseguir comprar as suas passagens é mesmo fazendo uma grande pesquisa na Web.

DICAS DE PASSAGEM AÉREA

Isso mesmo, pois o preço das passagens, mesmo considerando um destino idêntico, pode variar muito entre as companhias aéreas.

Além disso, pacotes promocionais ofertados pela própria companhia, descontos e promoções especiais são muito comuns, principalmente se a reserva for antecipada.

Você pode estar se perguntando neste momento: vou ter que sair clicando de site em site para tentar encontrar o melhor preço de passagem aérea?

Aqui é que entra a grande dica, pois existem na internet os chamados “comparadores” de preços de passagens.

Um dos mais conhecidos e que inclusive recomendamos é o ViajaNet onde, com apenas alguns cliques, você já terá uma relação de preços e condições de passagens para o destino escolhido.

E é muito fácil de usar: basta indicar se a passagem será de ida e volta, qual o local de origem (sua cidade, estado), data prevista para embarque e desembarque e os passageiros que viajarão, bem como a classe pretendida.

Você pode ainda garantir uma busca mais ampla já que não é obrigado a indicar a classe. Além disso, é possível pesquisar por destinos sem data definida, sendo oferecido valores durante vários meses para que realize a escolha.

Como resultado, você tem um comparativo bem completo, com preços, condições, taxas, assentos, meses mais em conta e muito mais.

Então, clique no buscador abaixo e saiba como funciona.

3º – O seguro viagem

Embora muitos pensem que não, o seguro viagem é um item muito importante para sua viagem.

Além disso, algumas pessoas acreditam que o Seguro Viagem vem junto, embutido, com a passagem aérea ou com seu pacote de viagem. Outras pensam que ele é dispensável, afinal, só vai ficar fora alguns dias.

Tem ainda algumas pessoas que nem sabem que o Seguro Viagem existe. Em suma, temos que afirmar que todas essas pessoas estão erradas.

SEGURO VIAGEM

Atenção aos detalhes.

Em primeiro lugar, o seguro viagem até pode (e geralmente o é) ser oferecido pela companhia aérea ou pela sua agência de viagens na hora que você efetuar a compra.

Mas você não é obrigado a aceitar este seguro e pode muito bem pesquisar condições e coberturas que você julgue necessárias para seu tipo de viagem.

Por outro lado, há quem compre passagens aéreas pelo cartão de crédito e utiliza o seguro viagem da própria operadora. Contudo, é preciso analisar a cobertura oferecida pois há casos que excluem bagagens e situações particulares.

Como exemplo, podemos citar casos de prática de esportes, gravidez, bem como danos ou extravios de malas. Se sua operadora de cartão de crédito não oferece um seguro completo, você precisará contratar outro que seja mais abrangente.

Para aquelas pessoas que julgam o seguro viagem dispensável, é preciso lembrá-las que imprevistos ocorrem a qualquer momento e em qualquer lugar.

Um mero acidente que justifique, por exemplo, uma internação hospitalar em outro país, pode representar gastos volumosos e totalmente inesperados. Neste caso, seria com certeza o fim de suas férias, de seu passeio.

Vale lembrar também que, em alguns países o seguro viagem é obrigatório.

Um bom exemplo são os 26 países europeus que fazem parte do Tratado de Schengen (que prevê a abertura das fronteiras e a livre circulação de pessoas entre os países signatários), os quais exigem o seguro para qualquer visitante de seus respectivos países.

Em terceiro, para as pessoas que desconhecem a existência deste seguro, saiba que ele é imprescindível e visa cobrir todas as despesas médico/hospitalares e odontológicas, bem como prestam auxílio em diversas áreas que compreendem sua viagem.

Nossa recomendação de Seguro Viagem.

Nós nunca viajamos para o exterior sem um bom seguro contratado e achamos que é sempre melhor prevenir do que remediar.

Após muita pesquisa, encontramos uma empresa confiável, que conta com preços mais que convidativos, frente as mais importantes coberturas como para saúde, bagagens, assistência jurídica e muito mais.

Por isso, decidimos compartilhar com vocês, e o melhor, conseguimos descontos para nossos leitores. Clique no botão abaixo para fazer sua cotação, garanta seu desconto e viajar tranquilo.

Sabia que o Seguro Viagem é essencial para sua segurança no exterior?

Além de ser obrigatório nos países da Europa, a imigração pode solicitar o documento para permitir ou negar sua entrada. Fizemos uma parceria com o maior comparador de seguros viagem.

Leitores do Casal a Bordo tem 10% de desconto. É só clicar no botão.

 

4º – Hospedagens.

Pensar em onde e como você vai se hospedar leva em consideração uma série de fatores diversos que vão muito além do preço da diária. Confira:

  • Localização do hotel (se é próximo do aeroporto, de pontos turísticos, do centro da cidade, do transporte público, etc.);
  • Qualidade e serviços do hotel (café da manhã, se área de lazer, restaurante, segurança, ar condicionado ou mesmo aquecedor, Wi-Fi, etc.);
  • O preço da hospedagem (o melhor custo benefício deverá pesar em sua decisão e não necessariamente o menor preço).
DICAS DE HOSPEDAGEM

Como você pôde perceber, decidir onde e como se hospedar requer, igualmente, uma certa pesquisa. Isto não é porque você simplesmente quer economizar, mas sim porque quer o melhor pelo preço justo, no mínimo.

O melhor significa conforto, serviços ofertados pelo hotel (wi-fi, translados até o aeroporto, guias, etc.), localização e, claro, o preço.

Mas fique tranquilo porque você não vai precisar ficar ligando de hotel em hotel, entrando em sites de cada um deles e realizando simulações. Nesta área também existem os buscadores, muito úteis neste momento.

O que indicamos e que é, inclusive, muito utilizado pelos brasileiros é o Booking.Com. Ele é bem completo, fácil de usar e apresenta as melhores ofertas de acomodações, comodidades, bem como avaliação de quem já se hospedou. Clicando no botão abaixo você encontra os melhores hotéis em um só lugar.

Vai viajar e precisa reservar um hotel ou pousada?

Alugando pelo nosso link você não paga nada mais por isso e ainda ajuda a manter o conteúdo do blog atualizado.

Faça uma cotação online no Booking, comparando o preço nas melhores pousadas e hotéis, é só clicar no botão.
 

IMPORTANTE: como em todo o resto, a antecedência na reserva de hospedagens garante uma negociação melhor.

Você também pode encontrar casas de temporada em qualquer parte do mundo reservando pelo AirBnb.

Para te ajudar ainda mais, se cadastre no Airbnb com nosso link e ganhe um desconto de R$130 ao reservar uma acomodação, e mais R$49 para usar em uma experiência que custe R$165 ou mais.

5º – Transporte e aluguel de carros

O item transporte no destino também deve ser pensado com antecedência.

Da mesma forma como na escolha das hospedagens, também deve-se levar em consideração vários fatores para optar por alugar ou não um carro.

LOCAÇÃO DE CARRO VIAGEM

A exemplo disso, é preciso saber a distância do local onde você está hospedado dos principais pontos turísticos, avaliar se o destino possui transporte público eficiente ou se este é limitado.

Além disso, saber como é o trânsito, oferta de estacionamentos, pedágios, se é seguro usar serviços de táxi, entre outras coisas. Todos esses fatores deverão ser considerados e até listados a fim de embasar sua decisão.

Um dos motivos que nos incentiva a alugar carro durante nossas viagens é a liberdade que se tem. Não precisar depender de horários do transporte público, poder flexibilizar o roteiro, sem contar o conforto, nos faz aproveitar ainda mais a viagem.

Com relação ao valor, não foi exigido nenhum pagamento adicional no ato da assinatura do contrato.

Nossa dica é a Rentcars.com, a maior plataforma de aluguel de carros online da América Latina e uma das líderes globais do segmento. Ela compara para você facilmente preços, tipos de veículos e condições, apresentando o melhor preço.

Para comparar, clique no botão abaixo, faça sua cotação e comprove.

Que tal alugar um carro pelo melhor preço?

Você pode alugar com até 60% de DESCONTO, parcelar em até 12X pelo cartão de crédito e o melhor, se for para fora do País não precisa pagar IOF, economizando mais 6,38%

Faça uma cotação online na RentCars.com, comparando o preço das melhores locadoras. É só clicar no botão.
 

6º – Faça ótimas compras no Duty Free

Mesmo você não sendo um viajante compulsivo por compras, precisa se atentar às regras de compras nos Duty Free.

Por mais que possa ser uma grande economia comprar produtos no exterior ou na Duty Free, respeite sempre os limites estabelecidos em lei para não ter problemas.

DUTY FREE GUARULHOS

Lembre-se de aproveitar todas as dicas e sugestões de sites e links importantes citados até aqui, pois foram selecionados para garantir a sua comodidade e tranquilidade na hora de viajar.

No mais, é só aproveitar sua viagem e curtir bastante.

Agora nos conte, você gosta de aproveitar suas viagens internacionais para fazer compras no exterior ou na Duty Free?

Organize sua viagem com quem entende do assunto.

Toda vez que você reserva algum produto através dos links/Banners encontrados no Blog, nós ganhamos uma pequena comissão. NÃO EXISTE CUSTO EXTRA para você, e ainda nos ajuda a continuar produzindo conteúdo de qualidade e a manter o blog no ar.
Nós agradecemos seu apoio.

Siga nossas redes sociais.

Luciana Torezan

Paulista, 38 anos, servidora pública. Muito comunicativa e curiosa, tem paixão pelos animais e pela natureza, ama conhecer lugares e vivenciar culturas diferentes. Amante de trilhas e cachoeiras, está sempre motivada a botar o pé na estrada e ir atrás de novas aventuras. Tem prazer em compartilhar dicas e é a responsável pelo conteúdo do blog e redes sociais.

Artigos relacionados

5 Comentários

  1. Duty free é bom demais, né? Não sabia dessas regras. Inclusive achei que liberassem um número maior de itens de higiene. Melhor ficar atento mesmo para evitar multas desnecessárias.

  2. Ah, gostei de saber dessas regra de alfândega e Duty Free, pois algumas coisas eram confusas pra mim. Não sabia por exemplo que o valor do Duty Free não interferia na cota de compras da viagem, a melhor notícia do dia, rs.

  3. Queria ter lido esse post sobre duty free e regras da alfândega anos atrás, antes da minha primeira viagem internacional! Não sabia direito das regras e achava tudo muito confuso. Post referência especialmente para quem vai viajar pela primeira vez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
NÃO PERCA NADA!!!
Inscreva-se em Nossa Newsletter. É Grátis
Seja o primeiro a receber as últimas atualizações e conteúdo exclusivo diretamente na sua caixa de entrada de e-mail
Inscreva-se
Experimente, você pode cancelar a inscrição a qualquer momento.
close-link
Fechar
Fechar